Em seguida foi a vez de Dr. Elifas Gurgel, secretário da radiodifusão (MCTIC), que trouxe aos profissionais a posição do novo governo. Ele esclareceu a estrutura da secretaria, falou sobre o quadro da migração e ainda citou a realidade da faixa estendida FM.

“A migração depende da canalização, por isso foi criada a faixa estendida. Há receptores FM com faixa estendida em aparelhos, por isso queria incentivar os radiodifusores a não terem medo caso lhes seja oferecida essa opção para a migração”, afirmou.

O secretário ainda disse estar à disposição dos comunicadores e afirmou que deseja ouvi-los e ajudá-los. Foi então a vez de Manoel Calaça e Rogério Corrêa, da Caikron, que apresentaram produtos visando qualidade do som, transmissões online, redes sociais, como Audiostreaming, Social Live e Vídeo Streaming etc.

O Congresso também ofereceu formas de buscar fontes financeiras. Uma delas foi a elaboração de projetos, palestra ministrada pelo Profº Me. Henrique Hamerski (FAESA), que mostrou que hoje temos um excesso de mensagens publicitárias.

Hamerski falou da alternativa dos Projetos, que aumentam a receita, buscam novos clientes e que fazem com que se saia da lógica de anunciar somente na maior audiência.

Já Sioni Gonçalves, especialista em Marketing em Comunicação, explanou sobre a Gestão de Negócios em Rádio. “O mercado mudou muito com as novas mídias, por isso agora temos novos clientes e também a forma de investir em mídia é diferente. Esse é o motivo pelo qual precisamos atualizar nossa gestão de rádio”, disse Gonçalves.

Tratando de Rádio e mobilização de recursos, Ir. Osnilda Lima (Cáritas Brasileira e Secretária de Signis Brasil) e Ricardo Schneider (Diretor Comercial da TV e Rádio Evangelizar) mostraram visões diferentes sobre como movimentar o setor. Lima recordou a captação de recursos por meio de projetos e mencionou a possibilidade de uma comunicação sustentável, para transformar. Já Schneider explicou o trabalho que desenvolve com a Rede Evangelizar É Preciso no campo dos negócios com anunciantes. Um marketing mais comercial e que diz muito a respeito de entender o próprio público, seu cotidiano e hábitos.

Por fim, Dr. Cristiano Flores, Diretor Geral da ABERT, conversou com os congressistas sobre a desregulamentação do setor. Segundo Flores, hoje as normas de controle são excessivas.”É preciso mudar a cultura porque há muitas normas das quais não temos necessidade por já haver uma regulamentação. Por outro lado, há questões de responsabilidade de conteúdo para determinadas mídias, especialmente com a internet, e que ainda não avançaram. É uma balança assimétrica”, indicou.

O evento se finalizou com o agradecimento da Presidente da RCR, Angela Morais, com a bênção de todos os sacerdotes presentes e um coquetel de encerramento. Confira as fotos em nossa página: facebook.com/redecatolicaderadio e em nosso Instagram @redecatolicaradio

Fonte: http://signis.org.br/noticias/comunicacao/01-04-2019/2o-congresso-de-rdio-catlica-no-brasil-debateu-novos-meios-de-captao-de-recursos