COMISSÃO NACIONAL

Bispos e coordenadores regionais da Pascom em Aparecida (SP)  

Na manhã desta quinta-feira, 19 de julho, bispos referenciais e coordenadores dos 18 regionais da CNBB responsáveis pela Pastoral da Comunicação (Pascom) estiveram reunidos no auditório dom Hélder Câmara, do Hotel Rainha do Brasil, em Aparecida (SP). O encontro foi coordenado pelo arcebispo de Dimantina (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, dom Darci Josè Nicioli.

Balanço dos trabalhos

Dom Darci Fez um relato dos principais projetos da Comissão executados nos últimos três anos de trabalho, apontou para alguns destaques considerados como avanços e levantou desafios que permanecem em aberto para os bispos, coordenadores e agentes da Pascom.

Não somos apenas comunicadores, nem tampouco, apenas agentes de pastoral, somos gente que tem fé em Jesus Cristo e que considera o seu Evangelho o mais perfeito anúncio de uma vida maravilhosa para todos os seres humanos em todas as épocas. Essa é a Boa Notícia, a Boa Nova, o conteúdo central da comunicação que planejamos, que organizamos e realizamos em nossas comunidades, nossas dioceses, nossos regionais e em nosso País“, disse o Presidente.

Ao falar do trabalho dos bispos e coordenadores, esclareceu: “Consideramos que recebemos um privilégio e não um jugo, um peso, uma carga. Fomos escolhidos por nossos bispos para tomarmos conta de uma seara decisiva para a ação evangelizadora da Igreja no Brasil. Tão decisiva que se falharmos, todo o movimento das outras pastorais também irá receber reflexos da nossa falha. Se a comunicação se torna apática, repetitiva, maçante, o conjunto da obra sofre muito e criamos dificuldades para a que a luz da Boa Notícia chegue ao coração das pessoas”.

Destaques

Dom Darci disse que três iniciativas da Comissão têm especial relevância no trabalho feito pelos referenciais e coordenadores nos últimos anos: a criação do Prêmio dom Luciano Mendes de Almeida, a Digitalização do Material para o Dia Mundial das Comunicações e a participação da Comissão nos encontros do Conselho Latino-americano e Caribenho (Celam).

Criamos no ano passado um prêmio especial de comunicação para cobrir os trabalhos realizados na Internet. Acreditamos que se trata de um legado que deixaremos para as próximas equipes da Comissão. Havia muito tempo que se falava de algum mecanismo para um reconhecimento do episcopado das iniciativas interessantes que brotam desse novo ambiente de comunicação. O Prêmio faz homenagem a Dom Luciano, indiscutivelmente, um homem visionário e um intrépido comunicador. Esse prêmio inclui portais, sites, blogs, redes sociais e aplicativos. Este ano estamos na segunda edição e posso dizer que tivemos trabalhos muito interessantes que mereceram a atenção dos especialistas e dos bispos“, assinalou dom Darci.

Confesso que não foi tarefa fácil deixar o papel de lado e propor de enviar o material para divulgar o Dia Mundial das Comunicações em formato digital. É uma questão cultural. Somos ainda apegados ao papel e parecia que não ia funcionar. A reflexão na Comissão, principalmente impulsionada por Dom Devair Araújo, caminho na direção de colocarmos em prática os ensinamentos do Papa Francisco com a Encíclica Laudato Sì. Desse modo, enfrentamos o desafio e creio que já está sendo muito mais fácil acompanhar nossas orientações por meio digital do que aguardando poucos livretos que chegavam às dioceses e, muitas vezes, permaneciam na secretaria das paróquias“, esclareceu.

E acrescentou: “Por conta do meu ofício de presidir a Comissão, fui conduzido a uma equipe de comunicação do CELAM, em Bogotá. Participei de várias reuniões nesses últimos anos. Asseguro que temos muito o que aprender com nossos irmãos hispânicos, que a Igreja latino-americana e caribenha tem uma vastíssima reflexão no campo da comunicação e muitos passos a dar para uma integração maior. Este ano, em março, fui representar a CNBB e levei um assessor comigo e tivermos a gratíssima surpresa de ver o quanto o nosso Diretório é admirado pelas outras conferências episcopais. Fomos citados e “assediados” em função do interesse de todos pelo trabalho de comunicação que fazemos no Brasil. Naquele encontro, das 22 conferências do Conselho, 18 estavam representadas”.

Desafios

Dom Darci lembrou que, no campo da comunicação na Igreja, os agentes precisam estar atentos a vários desafios nos próximos meses, principalmente o seguintes: a preparação e realizado do Mutirão Brasileiro da Comunicação (Muticom) de 2019 na Arquidiocese de Goiânia (GO); A divulgação e aplicação do Guia de Implantação da Pascom que será lançado no 6º Encontro Nacional da Pascom que se inicia nesta quinta, 19, e se estende até o domingo, 22 de julho, em Aparecida (SP) e o estudo do documento 11 da série verde (estudos) da CNBB que trata de “Orientações para as mídias católicas”.

Coordenação Nacional da Pascom

No final da reunião, foram eleitos os primeiros agentes a coordenar nacionalmente a Pascom. O coordenador nacional, eleito por voto secreto e direto, foi o Marcus Tulius, da Arquidiocese de Vitória (ES) e coordenador do regional Leste 2 da CNBB. A secretária nacional da Pascom, escolhida pelo mesmo método, é a Patrícia Luz, da arquidiocese de Salvador e coordenadora do regional Nordeste 3.

fonte: CNBB

Sobre o autor

Alex

Alex

Setor de Comunicação do Regional NE 1; Coordenador da Comissão para Comunicação Social - CNBB Regional NE 1 e Coordenador da Pascom Paroquia Nossa Senhora das Graças.

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ARTIGOS

Dom Orani João Tempesta

Dom Orani João Tempesta

D. Orani João Tempesta, Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ)

REDES SOCIAIS PASCOM

Participe de nossas redes sociais: curta, comente e compartilhe com todos os agentes no Brasil !