COMISSÃO NACIONAL

O uso das redes sociais no despertar das mais variadas vocações na juventude

Despertar as mais variadas vocações na Igreja no Brasil é o objetivo central da Ação Evangelizadora ‘Cada Comunidade Uma Nova Vocação’ que tem a cultura digital como seu principal ambiente de divulgação. A meta é chegar aos jovens pelas redes sociais (Facebook, WhatsApp, Instagram…) já que esse é um dos ambientes preferido deles. Divulgar esses vídeos de testemunhos vocacionais nas redes sociais já está atingindo muitos deles.

O projeto, iniciado pelas dioceses dos Regionais Sul 2, Sul 3, Sul 4 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e as dioceses de Osasco (SP), Tefé (AM) e Bafatá no continente africano utiliza todos os meios de comunicação, em especial as redes sociais, para divulgar vídeos que mostram a beleza do chamado de Deus e testemunhos de quem vive sua vocação com alegria.

De acordo com o bispo de Paranavaí (PR), monsenhor Mário Spaki, o projeto foca em duas realidades centrais referentes à vocação: a oração: a Igreja unida pedindo ao Pai mais vocações; e os testemunhos: depoimentos de quem vive com alegria a sua vocação.

“Queremos divulgar esses testemunhos nas redes sociais, espalhar vídeos mostrando aquilo que temos de bonito em nossa Igreja. Acredito que com essas duas ações: oração e testemunho é possível fortalecer a cultura vocacional. ”, diz o monsenhor

A inspiração dessa Ação Evangelizadora nasceu de uma reunião, no final do ano de 2016. Logo a ideia virou uma proposta que foi apresentada aos bispos do Paraná, que aprovaram, por unanimidade, a iniciativa. E, depois disso, o projeto só foi crescendo e foi assumido pelos três regionais do Sul do Brasil (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). E hoje tem a participação de Arqui/dioceses de todas as regiões do Brasil e a Ação está aberta para quem desejar participar.

“Temos tantas realidades bonitas em nossa Igreja, pessoas que se doam, que prestam um serviço magnífico a humanidade e isso, muitas vezes, fica escondido. Precisamos mostrar isso, especialmente aos jovens. Mostrar que é possível ser feliz, encontrar o sentido da vida, seguindo Jesus, entregando a vida totalmente a ele”, ressalta.

Ainda segundo o monsenhor Mário Spaki, outro ponto importante do projeto é o convite à oração por todas as vocações. “Sempre que nos reunirmos como Igreja vamos rezar uma dezena do rosário pelas vocações, importante ressaltar sempre essa intenção, completou.

Nesses 2 anos de atuação, a avaliação do trabalho da Ação Evangelizadora é positiva e já começa a dar frutos. O projeto tem recebido, diariamente, testemunhos vocacionais de diversos lugares, de várias vocações. São vídeos que estão surgindo das comunidades e nos mostram tantas coisas bonitas. Além disso, a dimensão da oração também está acontecendo, as paróquias, comunidades, grupos, movimentos estão assumindo com seriedade o compromisso de sempre rezar uma dezena do rosário pelas vocações.

“Há poucos dias uma pessoa nos rescreveu relatando a reação de um jovem ao assistir um de nossos vídeos vocacionais: Ele se emocionou, pois na verdade, ele já me disse que sente o chamado de Deus. Tenho certeza que, no tempo de Deus, os frutos serão abundantes para a Igreja”, relata.

Mas a ação é ousada e tem como objetivo unir a Igreja para colocar em prática o versículo: “Pedi ao senhor da messe que envie operários para a sua colheita” (Mateus 9,38), fazendo com que cada comunidade reze com fé e entusiasmo pelas vocações. Dessa forma, fortalecer uma cultura vocacional, um ambiente positivo em que os jovens encontrem condições favoráveis para responder ao chamado de Deus e, desse modo, estimular, aumentar e também cultivar as vocações na Igreja.

“Claro, queremos uma nova vocação, de consagração, por comunidade. No entanto, Deus irá nos enviar as vocações que Ele quiser. Mas tenho certeza de uma coisa: o coração de Deus é pleno de amor e generosidade, se nós pedirmos com fé, como diz o Evangelho, Ele vai nos atender com grande generosidade”, finaliza.

Em janeiro de 2017, o Papa Francisco, recordou a importância do testemunho, pois muitos padres e religiosas relatam que, no início de sua vocação, foram tocados pelo testemunho de outro: “quero ser como ele ou ela”.

Então, segundo o monsenhor Mário Spaki, vamos mostrar aos jovens, lá onde eles estão, nas redes sociais, esses testemunhos bonitos de pessoas que vivem com alegria sua vocação. E isso já está acontecendo.

Todas as informações do projeto podem ser encontradas no site www.vocacoes.org

ARTIGOS

Dom Orani João Tempesta

Dom Orani João Tempesta

D. Orani João Tempesta, Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ)

REDES SOCIAIS PASCOM

Participe de nossas redes sociais: curta, comente e compartilhe com todos os agentes no Brasil !