PASCOM DIOCESANA

Semana de Comunicação movimenta Arquidiocese de Maceió

Encontros com clero, seminaristas, catequistas e agentes de pastoral marcaram o evento que contou com a presença da irmã Joana Puntel

Para celebrar o Dia Mundial das Comunicações Sociais (DMCS) na Igreja, a Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de Maceió foi além, e resolveu comemorar a data realizando uma semana inteira com diversas atividades que contou com a presença da convidada deste ano, irmã Joana Puntel.

 Depois de passar por outros estados do Regional Nordeste II, a irmã fez sua última parada em terras alagoanas, e junto com a Pascom planejou momentos com o Clero, Seminaristas, Catequistas e Agentes da Pastoral da Comunicação. Tudo girando na mensagem do Papa Francisco para o DMCS: “Fake News e o Jornalismo de Paz”.

 Na manhã da quarta-feira (9) ocorreu a abertura da Semana durante a reunião do Clero. O arcebispo de Maceió, Dom Antonio Muniz, agradeceu a presença dos sacerdotes e contextualizou o momento em que a sociedade vive.

 “Retorno de uma assembleia dos bispos que viveu a sombra dessas notícias falsas. A presença da irmã é importante para compreendermos esse fenômeno que está disseminando a mentira no mundo e dentro da própria Igreja”, destacou.

 Puntel apresentou aos padres exemplos de notícias falsas atuais e como elas interferiram na sociedade. “Existem agências especializadas que foram criadas para este tipo de jornalismo”. Ela reforçou que os sacerdotes são formadores de opinião em suas paróquias, e assim como os jornalistas são os “guardiões da verdade”.

 No horário da tarde o enfoque com os seminaristas foi a formação recebida dentro do Seminário. A irmã lembrou que a Comunicação é uma importante disciplina que deve ser abordada.

 “A sociedade atual respira comunicação e precisamos estar atentos a isso. Pois sabemos que a mensagem não mudou, é Jesus, mas o meio de transmiti-la modificou”, disse.

 Catequistas foi o público na noite da quinta-feira (10) e junto com Puntel conversaram sobre a “Comunicação no Itinerário da Iniciação à Vida Cristã”.

 Com o auditório do Seminário Arquidiocesano lotado, ela comentou sobre as mudanças ao longo do tempo na Metodologia Catequética. “As mudanças ocorrem rapidamente. Nossas crianças já nascem com a tecnologia em suas mãos”.

 A irmã disse que os catequistas devem comunicar essa Igreja que acolhe cada um que se aproxima dela. “Jesus sabia acolhia e comunicava a sua mensagem, através das palavras, do gesto, do olhar”.

 Tradicional Café da Manhã com a Imprensa

Na manhã da sexta-feira (11) ocorreu a segunda edição do café da manhã com a imprensa realizado pelo arcebispo, Dom Antônio Muniz. Com os jornalistas presentes, ele destacou a importância da aproximação com a imprensa local.

 “Estamos preocupados com esse fenômeno que atinge a todos, e a Igreja não é uma exceção. Minha preocupação é com as fontes utilizadas em reportagens e declarações. Precisamos checá-las e saber se são verídicas”.

Junto com a irmã, a imprensa pôde conversar sobre o tema, e dom Antônio ainda aproveitou a oportunidade para informar que nos próximos meses será lançado um Almanaque em comemoração ao centenário da Arquidiocese e os 200 anos de Alagoas. “Agora teremos fontes oficiais da nossa história. Quem quiser saber, é só conferir neste livro”.

 Agentes da Pascom participam do VI Seminário sobre Comunicação

As atividades terminaram no sábado (12) com o VI Seminário sobre as Comunicações Sociais que reuniu agentes da Pastoral da Comunicação e demais interessados.

 A conferência foi aberta pela Irmã Joana Puntel que ressaltou a formação dos agentes. “Fico preocupada quando observo na importância que é dada no manuseio dos instrumentos. Não que isso deve ser deixado de lado, mas precisamos saber o sentido do nosso trabalho pastoral, e acima de tudo da nossa espiritualidade”.

 Assim como fez com os seminaristas, ela traçou uma linha do tempo com os documentos da Igreja sobre a Comunicação, o surgimento do Dia Mundial das Comunicações Sociais, e qual o papel do agente na Igreja.

 Após a sua fala, a jornalista Luciana Martins, convidada para o momento falou de como as notícias falsas interferem na redação de um veículo de comunicação.

“Existe o famoso caso do Jornalismo da Escola Base nos anos 90, e depois se viu que as acusações eram falsas. Mas toda a repercussão que a imprensa na época fez já havia estragado a vida dos proprietários e dos professores”, exemplificou.

 Luciana lembrou que existem agências especializadas em combater as fake news e que auxiliam na busca da veracidade dos fatos. “Todos nós somos responsáveis pela disseminação ou não dessas notícias falsas. Estamos em ano eleitoral e é importante ficar de olho em qualquer matéria que recebemos”.

 Para ajudar a entender também das consequências jurídicas, o advogado Cauê Castro, mostrou quais as leis que estão ligadas as notícias falsas. “Infelizmente ainda não temos uma legislação especifica sobre o tema, mas leis como o Marco Civil da Internet, já nos auxiliam em alguns casos”.

 Ele ainda explicou como se comportar quando alguém for vítima das fakes news. “Tira uma foto da tela onde foi postada a notícia falsa ou áudio como prova e procurar um advogado para entrar com uma ação”.

ARTIGOS

Dom Orani João Tempesta

Dom Orani João Tempesta

D. Orani João Tempesta, Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ)

REDES SOCIAIS PASCOM

Participe de nossas redes sociais: curta, comente e compartilhe com todos os agentes no Brasil !